Como se prevenir do Câncer de Próstata

09/10/2013 12:05

Como se prevenir do Câncer de Próstata

 

Um estudo canadense de 2007 estabeleceu relação entre os pesticidas usados na agricultura e esse tumor. Segundo o Urologista Ubirajara Ferreira, da Unicamp, a cada 20 minutos morre um homem vitimado pela doença. O que você pode fazer para se prevenir? Beba vinho tinto. Pesquisadores descobriram que beber de quatro a sete copos por semana faz o risco cair 48%.
COMO EVITAR O CÂNCER DE PRÓSTATA
Matt Bean e Rachel Campello, sexta-feira, sexta-feira, 23 de fevereiro de 2007


Próstata
No Brasil, o câncer de próstata é a segunda causa de óbitos da doença em homens, perdendo apenas para o de pulmão. De acordo com estimativas do Instituto Nacional de Câncer (INCA), quase 48 mil novos casos serão diagnosticados até o / m de 2006. Apesar de o quadro parecer trágico, há espaço para otimismo. Como prova disso, vamos mostrar o que há de mais recente no campo da prevenção, da detecção e do tratamento da doença. Cabe a você colocar essas novidades em prática (que inclui: mais sexo e beber mais vinho - com moderação). Infelizmente, agindo assim, a sua imunidade não estará totalmente garantida, mas a sua próstata será uma noz dura de roer.
Oito formas de detectar, desativar e esquivar-se de uma bomba nessa glândula

É PREVENÇÃO

Ame a si mesmo. Como se a masturbação já não fosse uma recompensa em si, um recente estudo australiano descobriu que essa diversão solitária também contribui para prevenir o câncer de próstata. O estudo, feito com 2 338 homens, mostrou que os caras que se masturbavam cinco ou mais vezes por semana tinham uma probabilidade 34 menor de apresentar câncer de próstata por volta dos 70 anos. "O fluido seminal contém substâncias que são carcinogênicas", afirma Graham Giles, autor do estudo. "A ejaculação freqüente pode ajudar a esguichá-las para fora." Masturbar-se mais de uma vez ao dia não garante mais proteção. Já se você tem uma parceira cheia de disposição, aproveite a energia. O sexo a dois oferece os mesmos efeitos...

e muito mais. Fique contente porque você está ficando careca.

Há um lado bom na calvície... O remédio para combatê-la, o Propecia, tem efeito colateral impressionante. De acordo com estudo realizado pelo Instituto Nacional do Câncer dos Estados Unidos, os homens que tomaram doses diárias de 5 mg do medicamento, durante um período de sete anos, apresentaram um risco de ter câncer de próstata 25% menor. A finasterida, princípio ativo do remédio, inibe a produção de diidrotestosterona, hormônio que desencadeia a perda de cabelo e o crescimento excessivo da próstata.

Vinho e jantar.

Não é à toa que os homens da Europa Ocidental desenvolvem menos câncer de próstata que os americanos. Eles têm na mesa um grande aliado: os alimentos básicos da dieta mediterrânea são poderosos. Pegue, por exemplo, o alho e a cebolinha. Ambos são ricos em organosulfurado, que contém inibidores de químicos carcinogênicos. Consumi-los diariamente reduz em 50% o risco de desenvolver a doença. Não podemos esquecer do vinho tinto. As uvas vermelhas transbordam resveratrol, antioxidante que pode ajudar a inibir o crescimento do câncer de próstata, segundo relatório do Centro de Câncer MD Anderson, da Universidade do Texas (EUA). Dois copos de vinho por dia são suficientes. "O excesso neutraliza os benefícios", diz Catherine OBrian, autora do estudo.

DETECÇÃO PRECOCE

Atualmente, os especialistas já ficam ligados quando o PSA atinge 2,5 ng/ml. "Mas não há receita que vale para todos", afirma o urologista Celso Gromatzky, chefe do Departamento de Andrologia da Sociedade Brasileira de Urologia. Segundo ele, há outros parâmetros que interferem na decisão de fazer uma biópsia ou não. "É preciso avaliar a idade do paciente, o tamanho da glândula e suas características observadas no toque." E quando começar com os exames de rotina? A partir dos 50 anos de idade, todos os homens devem fazer, anualmente, o toque retal e a dosagem de PSA. "Sem os dois exames, cerca de 30% dos casos não são diagnosticados", diz Gromatzky. Em pessoas negras ou com histórico familiar da doença (pai ou irmão com câncer), essa rotina deve começar aos 40.

TRATAMENTO

Vá com tudo nos temperos. Pesquisadores do Centro de Urologia Holística do Centro Médico Columbia-Presbyterian (EUA) descobriram que uma mistura de ervas que inclui gengibre, orégano, alecrim e chá verde reduziu o crescimento das células do câncer de próstata, em 78% dos casos. Acredita-se que essa combinação iniba a atividade da COX-2, proteína ligada ao avanço da doença. Outra opção com ervas é o FBL 101. Pesquisadores do Intituto Nacional do Câncer dos Estados Unidos deram isso para camundongos com câncer de próstata e descobriram que o medicamento reduziu a níveis indetectáveis o VEGF, fator de crescimento dos vasos sangüíneos do tumor. Se o abastecimento de sangue for interrompido, o câncer não sobrevive, segundo William Figg, chefe da pesquisa. Embora os tratamentos alternativos estejam em alta, o urologista Celso Gromatzky ressalta que muitos deles não têm eficácia comprovada em seres humanos. "E, mesmo com esse complemento, não podemos abrir mão do tratamento convencional."

Tecnologia a seu favor.

O nome é assustador: prostatectomia radical. Mas o procedimento salva vidas (quando o câncer ainda está somente dentro da glândula). E atualmente é realizado de duas maneiras: por meio da tradicional operação aberta ou por laparoscopia - feita com três ou quatro furinhos no abdome, por onde passam os instrumentos cirúrgicos. Em alguns hospitais sofisticados, o médico nem chega a pôr a mão na massa: só coordena o equipamento via computador. "Não há consenso sobre se um método é melhor que o outro", afirma Gromatzky. Segundo ele, ambos têm bons resultados de cura e de continência, e sucesso moderado na preservação da potência. Restaure as suas ereções. Por mais bizarro que pareça, um enxerto das fibras nervosas do tornozelo pode salvar sua vida sexual. Os nervos cavernosos muitas vezes são atingidos durante a remoção da próstata, principalmente se o câncer está fora da glândula. Mas muitos homens poderiam recuperar a função erétil se substituíssem os nervos cavernosos pelo nervo sural, que passa pelo tornozelo, segundo Peter Scardino, um dos responsáveis pelo desenvolvimento do procedimento e presidente de urologia do Centro de CâncerMemorial Sloan-Kettering (EUA).


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!