O Feminismo não deveria mais existir, diz cantora britânica Lily Allen

09/03/2014 15:36

O Feminismo não deveria mais existir, diz cantora britânica Lily Allen

 

A cantora britânica Lily Allen, famosa por suas declarações polêmicas, afirmou que o feminismo “não deveria existir mais” em 2014, já que “todo mundo é igual”.
Allen lançará seu novo disco, “Sheezus”, em maio. É o primeiro album da cantora desde “It’s Not You, It’s Me”, de 2009.
A declaração foi dada por ela em entrevista à revista “Shortlist”. Falando sobre uma música de seu novo álbum, que ataca a maneira com a qual as mulheres tratam umas às outras, a cantora afirmou que o sexo feminino é o seu “próprio pior inimigo”.
A cantora Lily Allen no Elle Style Awards, em Londres, em 18 de fevereiro
“Feminismo. Eu odeio essa palavra, porque não deveria nem existir mais. Nós somos todos iguais, todo mundo é igual. Por que se fala em feminismo? Qual é a versão masculina de feminismo? Não há nem palavra para isso. “Homenzismo”. ‘Macho-ismo’. Não existe”, disparou Allen.
Ela ainda elaborou melhor sua teoria sobre como as mulheres prejudicam elas próprias.
“Continuaria igual [costumava ser]. Mas eu não acho que os homens sejam os inimigos. Eu acho que as mulheres são os inimigos. Eu só sei que, quando estou sentada num restaurante e entra uma mulher linda e magra, eu penso instintivamente, ‘olha, ela é muito magra e linda e eus ou muito gorda e feia’. Então, é uma coisa competitiva. É estranho. É muito pouco saudável e nós somos nossas piores inimigas.”
Após a publicação da entrevista, a cantora foi bastante criticada por ativistas feministas do mundo todo.
Pelo Twitter, Lily Allen respondeu às críticas, dizendo que ninguém “tem o direito de me dizer o tipo de feminista que eu sou ou deixo de ser”. “Vão se foder”, desabafou.
Depois, ainda retuitou mensagens de fãs que a apoiavam, dando a entender que não é que ela discorde do feminismo, e sim que ela acredita que é um absurdo que ele ainda tenha que existir em 2014.
Fonte: Jornal Folha de São Paulo.

Meus comentários: É justamente isso que eu estou defendendo aqui nos meus sites desde o ano passado: que já chegou o momento de acabar com o feminismo. Até as mulheres já estão chegando a essa conclusão. Só uma gorda muito psicopata como a Lola ainda tenta salvar do colapso o feminismo soviético. Vai lá Lola, tenta fazer a sua Bucetróiska para tentar salvar o Feminismo do Colapso.

Poderá também gostar de:
- See more at: http://www.feminismodiabolico.org/#sthash.PVzuCQxM.dpuf

O Feminismo não deveria mais existir, diz cantora britânica Lily Allen

 

A cantora britânica Lily Allen, famosa por suas declarações polêmicas, afirmou que o feminismo “não deveria existir mais” em 2014, já que “todo mundo é igual”.
Allen lançará seu novo disco, “Sheezus”, em maio. É o primeiro album da cantora desde “It’s Not You, It’s Me”, de 2009.
A declaração foi dada por ela em entrevista à revista “Shortlist”. Falando sobre uma música de seu novo álbum, que ataca a maneira com a qual as mulheres tratam umas às outras, a cantora afirmou que o sexo feminino é o seu “próprio pior inimigo”.
A cantora Lily Allen no Elle Style Awards, em Londres, em 18 de fevereiro
“Feminismo. Eu odeio essa palavra, porque não deveria nem existir mais. Nós somos todos iguais, todo mundo é igual. Por que se fala em feminismo? Qual é a versão masculina de feminismo? Não há nem palavra para isso. “Homenzismo”. ‘Macho-ismo’. Não existe”, disparou Allen.
Ela ainda elaborou melhor sua teoria sobre como as mulheres prejudicam elas próprias.
“Continuaria igual [costumava ser]. Mas eu não acho que os homens sejam os inimigos. Eu acho que as mulheres são os inimigos. Eu só sei que, quando estou sentada num restaurante e entra uma mulher linda e magra, eu penso instintivamente, ‘olha, ela é muito magra e linda e eus ou muito gorda e feia’. Então, é uma coisa competitiva. É estranho. É muito pouco saudável e nós somos nossas piores inimigas.”
Após a publicação da entrevista, a cantora foi bastante criticada por ativistas feministas do mundo todo.
Pelo Twitter, Lily Allen respondeu às críticas, dizendo que ninguém “tem o direito de me dizer o tipo de feminista que eu sou ou deixo de ser”. “Vão se foder”, desabafou.
Depois, ainda retuitou mensagens de fãs que a apoiavam, dando a entender que não é que ela discorde do feminismo, e sim que ela acredita que é um absurdo que ele ainda tenha que existir em 2014.
Fonte: Jornal Folha de São Paulo.

Meus comentários: É justamente isso que eu estou defendendo aqui nos meus sites desde o ano passado: que já chegou o momento de acabar com o feminismo. Até as mulheres já estão chegando a essa conclusão. Só uma gorda muito psicopata como a Lola ainda tenta salvar do colapso o feminismo soviético. Vai lá Lola, tenta fazer a sua Bucetróiska para tentar salvar o Feminismo do Colapso.

Poderá também gostar de:
- See more at: http://www.feminismodiabolico.org/#sthash.PVzuCQxM.dpuf

O Feminismo não deveria mais existir, diz cantora britânica Lily Allen


A cantora britânica Lily Allen, famosa por suas declarações polêmicas, afirmou que o feminismo “não deveria existir mais” em 2014, já que “todo mundo é igual”.
Allen lançará seu novo disco, “Sheezus”, em maio. É o primeiro album da cantora desde “It’s Not You, It’s Me”, de 2009.
A declaração foi dada por ela em entrevista à revista “Shortlist”. Falando sobre uma música de seu novo álbum, que ataca a maneira com a qual as mulheres tratam umas às outras, a cantora afirmou que o sexo feminino é o seu “próprio pior inimigo”.

“Feminismo. Eu odeio essa palavra, porque não deveria nem existir mais. Nós somos todos iguais, todo mundo é igual. Por que se fala em feminismo? Qual é a versão masculina de feminismo? Não há nem palavra para isso. “Homenzismo”. ‘Macho-ismo’. Não existe”, disparou Allen.
Ela ainda elaborou melhor sua teoria sobre como as mulheres prejudicam elas próprias.
“Continuaria igual [costumava ser]. Mas eu não acho que os homens sejam os inimigos. Eu acho que as mulheres são os inimigos. Eu só sei que, quando estou sentada num restaurante e entra uma mulher linda e magra, eu penso instintivamente, ‘olha, ela é muito magra e linda e eus ou muito gorda e feia’. Então, é uma coisa competitiva. É estranho. É muito pouco saudável e nós somos nossas piores inimigas.”
Após a publicação da entrevista, a cantora foi bastante criticada por ativistas feministas do mundo todo.
Pelo Twitter, Lily Allen respondeu às críticas, dizendo que ninguém “tem o direito de me dizer o tipo de feminista que eu sou ou deixo de ser”. “Vão se foder”, desabafou.
Depois, ainda retuitou mensagens de fãs que a apoiavam, dando a entender que não é que ela discorde do feminismo, e sim que ela acredita que é um absurdo que ele ainda tenha que existir em 2014.
Fonte: Jornal Folha de São Paulo.

Meus comentários: É justamente isso que eu estou defendendo aqui nos meus sites desde o ano passado: que já chegou o momento de acabar com o feminismo. Até as mulheres já estão chegando a essa conclusão.