Os homens brasileiros estão sendo sangrados até a morte pelo feminismo

08/09/2013 16:15

Os homens brasileiros estão sendo sangrados até a morte pelo feminismo

 

Na primeira aula da Pós-Graduação em Gênero e Raça a Professora começou a falar mal dos homens brancos, disse que a culpa de todos os problemas era dos homens. Que os homens exploravam as mulheres e os negros. Que a distribuição de renda no Brasil era desigual e que só favorecia os homens brancos. Eu não aguentei mais e levantei a mão e falei: Olha eu não conheço nenhum homem branco que esteja nessa situação dourada que você descreveu. Todos os brancos que eu conheço ralam até não poder mais para ganhar um salário mínimo ou, os mais "sortudos" ganham dois salários minimos. Esses ainda têm que repassar mais de 60% do que ganham para as ex-mulheres, a titulo de pensão alimenticia. Você professora, é uma mulher, negra, Professora Universitária da UFMS e ganha mais de 15 mil reais por mês, ou seja, ganha 15 vezes mais do que eu, que sou um branco, machista, explorador e opressor, segundo essa sua teoria furada. Onde é que está a minha parte, se eu sou um branco privilegiado segundo você diz? Deixe-me dizer como essa sua estatística foi feita. O pesquisador, desonesto como você, pegou dois brancos: eu e o Eike Batista. Então, ele somou a minha renda: um salário mínimo, com a renda do Eike Batista: 30 bilhões de dólares por ano. Então o pesquisador desonesto da UFMS, dividiu a soma por dois e chegou a conclusão que, na média, eu era um bilionário, só porque eu sou branco e o Eike Batista também é branco. Ela ficou toda embananada, porque todos os outros alunos e alunas concordaram comigo, todos começaram a falar de casos de conhecidos que são homens, que são brancos e que só ganham um salário minimo. E ainda por cima tem que pagar pensão alimenticia para a ex-mulher.
Esse fenômeno é a atitude do Avestruz, de enfiar a cabeça em um buraco e ignorar totalmente o que acontece à sua volta. As crianças e os jovens são ensinados que toda a responsabilidade pelo sucesso ou fracasso deles está nas mãos deles mesmos. Eu acreditava nessa mentira antigamente; mas não mais. Como é que alguém pode querer imaginar que é possivel a juventude do Brasil, ter uma vida normal, com familia, sendo bem sucedidos profissionalmente, se a renda per capita é de apenas 12000 dólares por ano? A renda per capita nos EUA é de mais de 50000 dólares por ano: cinco vezes maior do que a nossa. O que isso significa? Que um trabalhador no Brasil, que ganha R$ 1000 reais por mês, se morasse nos EUA, para fazer o mesmo serviço, ganharia R$ 5000 reais por mês. Alguém que aqui no Brasil ganha R$ 2000 reais por mês, lá nos EUA GANHARIA R$ 10.000 reais por mês, para fazer o mesmo tipo de serviço. Com um detalhe: Lá nos EUA os produtos são mais baratos do que aqui, pois lá a carga tributária é bem menor e as empresas são mais eficientes e tem taxa de lucratividade menor.
Mas aqui no Brasil a situação ainda é pior: porque muitas vezes, nem um salario minimo muitos homens conseguem ganhar, já que a taxa de desemprego sempre se mantém alta. Então imaginem a seguinte situação: O cara ganha salário mínimo e se casa com uma periguete qualquer e eles têm um filho. A periguete vai trabalhar fora para ajudar no orçamento; mas ela não vai conseguir ganhar muito mais, vai ser um ou dois salários mínimos e se for muito sortuda, talvez três salários minimos. Três salários mínimos malemal dão R$2000 reais por mês, o que não dá para as despesas de nenhuma pessoa. As brigas começam, porque na cabeça da periguete, a culpa pela vida de burra de carga que ela leva é do marido, que não ganha mais dinheiro. Nunca passa pela cabeça de uma mulher culpar a economia e a estagnação do Brasil, que já dura 30 anos consecutivos. Não, a culpa é do marido, que é incompetente, que não é o mafioso que ela sempre sonhou casar, o mafioso que vive bem, come bem, porque rouba a parte que caberia aos outros trabalhadores. Então, chega um momento que a periguente fica puta da vida, ela se olha no espelho do banheiro, acha a bundinha dela grande e gostosa o suficiente e pensa: Quer saber, eu sou uma Barbie, quero viver como uma Barbie, quero ser uma princesinha mimada e rica. Ai ela nem pensa duas vezes e pede o divórcio e uma pensão alimenticia ao nosso herói masculino. Então ela usa esse dinheiro para colocar silicone nos peitos e na bunda, para ficar bem gostosa e atrair algum boyzinho maloqueiro; mas herdeiro de uma fazenda ou de uma rede de supermercados. Sempre é claro, falando mal do ex-marido, contando para todas as amigas o crápula que o ex-marido era porque só conseguia ganhar o que a renda per capita do país permitia ele ganhar. Debochando do tamanho do pênis do ex-marido, falando como ele era "mau" porque não ganhava tanto como ela gostaria que ele ganhasse. Então, nesses casos, sempre há uma historinha triste, de como o marido-homem-lobo-mau chegou em casa bêbado e discutiu com ela. Tadinha. Talvez até tenha dado um tapa no rosto dela depois dela ter humilhado a masculinidade dele na frente da quadra inteira. O olho roxo é a prova suprema do vitimismo feminino. Ninguem pergunta o que motivou o bofetão, só perguntam quando vai ser a execução em praça publica do homem-lobo-mau, como se um marido agredisse a esposa sem razão, sem motivo.
Nós homens não temos o direito de sofrer, de sermos pobres. A sociedade moderna nos tirou até mesmo o direito de morrermos com dignidade, porque nem se suicidar nós podemos. E ainda por cima temos que aguentar as acusações e o ódio de uma mulher, que deveria ter sido feita para nos amar, para nos apoiar, nos ajudar e não nos odiar. Estão nos esfolando vivos, estão sugando o nosso sangue, tirando o nosso dinheiro, a nossa dignidade, a nossa masculinidade, o nosso orgulho, as nossas roupas, os nossos empregos e querem nos proibir de reclamar. Temos que nos comportar como ovelhas indo para o matadouro. Temos que ser mansos, educados, submissos e entregar tudo o que temos de melhor e mais valioso para putas que não valem nem um níquel.
Vejam o texto abaixo:

Mantido o atual ritmo de crescimento em cada país, o PIB (produto interno bruto) per capita do Brasil se igualaria ao dos Estados Unidos em 108 anos, ao do Reino Unido em 47 anos e ao da Itália em 30.
Em 2012, o PIB (produto interno bruto) per capita do Brasil foi de US$ 11.875, e o dos EUA, de US$ 49.922, segundo o Fundo Monetário Internacional (FMI). Esse número foi calculado com base na paridade do poder de compra, uma cotação do dólar que desconta a diferença do poder aquisitivo em cada país.
Para calcular o ritmo de crescimento atual, Achados Econômicos considerou a média dos últimos cinco anos e a da projeção de crescimento para os próximos cinco, elaborada pelo FMI, ou seja, o período que vai de 2009 a 2018.
Nesses dez anos, o PIB per capita brasileiro vem crescendo a uma média de 4,5% ao ano, enquanto o dos EUA avança a 3,1% ao ano.
É claro que nenhum país mantém o mesmo ritmo de crescimento desse indicador por períodos tão longos – na verdade, é difícil que a taxa se repita mesmo em dois anos seguidos.
A economia dos países está exposta a inúmeros eventos que influenciam o seu crescimento. Ainda, quanto maior o PIB per capita, mais difícil manter um ritmo de expansão alto.
Na China, por exemplo, o PIB per capita tem crescido acima de 10% ao ano, mas, com isso, os trabalhadores locais tendem a começar a ganhar mais, de modo a aumentar o custo do trabalho e, possivelmente, corroer parte da competitividade dos produtos chineses.
Nem por isso o cálculo do tempo que os países vão levar para aumentar o seu PIB per capita é inútil. Ele mostra para onde a economia de cada nação está apontando neste momento.
Não deve ser visto, portanto, como uma tentativa de prever o futuro, e sim como uma forma de enxergar melhor o atual momento.
Emergentes
A China e a Coreia do Sul são os dois países emergentes que mais rapidamente alcançariam a renda per capita dos EUA, se mantivessem o atual ritmo de crescimento. Veja quanto tempo cada nação em desenvolvimento levaria para chegar ao mesmo nível dos americanos. Lembrem-se: A renda per capita dos EUA atualmente é de cerca de 50.000 dólares (U$$)

País PIB per capita atual (US$) Crescimento anual* (%) Em quantos anos alcançaria os EUA
China 9.162 10,1 26
Coreia do Sul 32.272 4,8 26
Chile 18.419 5,4 46
Índia 3.830 7,2 66
Rússia 17.709 4,7 68
México 15.312 3,4 483
África do Sul 11.375 3,3 786    

   Brasil              12.000                                 4,5                                 108


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!