Violência da PM em protestos é 'resquício da ditadura', diz ministra Maria do Rosário

19/10/2013 10:21

Violência da PM em protestos é 'resquício da ditadura', diz ministra Maria do Rosário

 
 

Violência da PM em protestos é 'resquício da ditadura', diz ministra de Dilma

A ministra da Secretaria de Direitos Humanos, Maria do Rosário, disse que violência contra jornalistas nos protestos é resquício da ditadura militar

  • A ministra da Secretaria de Direitos Humanos, Maria do Rosário, disse que violência contra jornalistas nos protestos é resquício da ditadura militar

Os ataques recentes da Polícia Militar a jornalistas que cobriam protestos nas grandes cidades brasileiras, nos últimos meses, representam "resquícios da ditadura militar" que governou o país ao longo de mais de duas décadas (1964-1985). A avaliação foi feita pela ministra da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Maria do Rosário, no Rio, nesta terça-feira (15).
Ao lado de representantes da Unesco, ela participou do colóquio sobre segurança de jornalistas durante o encerramento do Congresso da Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo) na capital fluminense. Desde o último sábado (12), segundo a organização, o evento reuniu cerca de 1.300 jornalistas do Brasil e de outros países.
A violência da PM contra manifestantes e jornalistas marcou manifestações recentes como as realizadas em São Paulo, no dia 13 de junho, e no Rio, durante a Copa das Confederações, em julho.
"Quando a violência contra os jornalistas acontece no âmbito das manifestações, o que cada um de nós rememora é a ideia de que as polícias estejam tentando impedir que a população que não vai a estes protestos saibam como esses policiais agem", declarou a ministra. "Continuamos com um modelo de polícia que herdamos na ditadura --e os manuais com os quais os policiais são formados, bem como as práticas de abordagem das pessoas nas manifestações e nas ruas, são resquícios daquele regime", afirmou.

Ampliar

 

 

Por outro lado, Maria do Rosário citou o caso em que condutas criminosas na PM também são investigadas e punidas. Sobre isso, citou os PMs presos suspeitos de torturar até a morte o ajudante de pedreiro Amarildo de Souza, na Rocinha. "A violência não está só nas manifestações, mas também nas periferias. Precisamos mostrar também, porém, a polícia que identifica abusos do estado e não só a que pratica abusos em nome do estado", alentou.
A SDH estima ter pronto até dia 10 de dezembro --aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos-- o relatório de um grupo de trabalho que estuda federalizar crimes contra os jornalistas. Só de janeiro a setembro deste ano, a Abraji contabilizou cinco jornalistas assassinados e 83 ataques, dos quais 85% foram praticados por PMs.
"Não pode haver liberdade de expressão quando jornalistas são mortos ou impedidos de fazer seu trabalho de informar", avaliou o presidente da Abraji, Marcelo Moreira.
Conforme ele, a federalização de crimes contra jornalistas fará com que estes casos sejam investigados não pela polícia local, mas pela Polícia Federal. "Isso faz com que a apuração seja mais independente e, dessa maneira, chegue aos assassinos. É uma forma de se reduzir a impunidade, que, hoje, é o que permite que esses crimes continuem acontecendo", declarou o jornalista.
Além da Abraji, este grupo é composto por ANJ (Associação Nacional de Jornais), Fenaj (Federação Nacional dos Jornalistas), ABI (Associação Brasileira de Imprensa) e Aberje (Associação Brasileira de Comunicação Empresarial) e foi instituído ano passado.

Fonte: http://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2013/10/15/violencia-da-pm-em-protestos-e-resquicio-da-ditadura-diz-ministra-de-dilma.htm?fb_action_types=og.recommends&fb_source=other_multiline

Nosso comentário: Ai está senhores a ação e pensamento de uma ministra feminista. Essa Maria do Rosário, a mesmissima da noticia anterior, sabem, aquele que achou o bandido um "coitadinho" por ter sido baleado por um Policial Militar, enfim, essa Maria do Rosário, agora que a situação se inverte e a Policia Militar é acusada de algo, agora ela é a favor de aplicar todos os rigores da lei e punir os PMs. Quer dizer, se um bandido faz algo errado, o bandido não pode ser punido. Mas se um Policial faz algo remotamente errado, ele deve ser crucificado e queimado na fogueira? Cadê a coerência, senhora Maria do Rosário? Dois pesos e duas medidas, só porque o bandido lhe desperta seus instintos maternais? E o policial lhe desperta seus instintos feministas? Eu estou lhes dizendo senhores, se nós formos esperar pela "piedade" das feministas, então é melhor já comprarmos a nossa cova no cemitério. Nós homens estamos sozinhos lutando por nossos direitos e não devemos esperar absolutamente nenhuma concessão ou bom senso das hordas feministas e nem desse governo satânico que ai está.


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!